2 de jan de 2013

Tatuagem vibratória



nova patente registrada pela Nokia é a solução definitiva para quem nunca consegue saber se o celular está tocando ou não. A companhia finlandesa registrou a ideia de “um material aplicável à pele, capaz de detectar campos magnéticos e transmitir um estímulo perceptível relacionado à presença desses campos” — em resumo, uma tatuagem que vibra quando um aparelho recebe uma ligação.
A ideia por trás da patente tem como base os diferentes tipos de toques podem ser atribuídos à lista de contato de um aparelho celular. A diferença fica por conta de que, no futuro, a cada pessoa seria atribuído um campo magnético diferente: enquanto um contato de um amigo poderia gerar uma vibração relaxante, seria possível atribuir a ligação de alguém indesejado a uma vibração mais intensa e irritante, por exemplo.
Segundo a empresa, a novidade também pode ser aplicada a acessórios como broches, porém fica claro que a intenção real da tecnologia é interagir com a tinta inserida sob a pele dos consumidores. Para que isso fosse possível, seria preciso que os pigmentos utilizados fossem enriquecidos com componentes ferromagnéticos ou paramagnéticos.
O objetivo da patente não fica muito claro, e é possível assumir que nem todos estariam dispostos a investir em uma nova tatuagem simplesmente para receber ligações de uma forma diferente. Para que a ideia realmente vingue, seria preciso um benefício muito maior do que simples vibrações pelo corpo para convencer os consumidores a marcarem para sempre os seus corpos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhar