25 de jan de 2011

Um Texto e um Outro

http://2.bp.blogspot.com/_Mfk_iKhQ4yE/SbVR-WZpBuI/AAAAAAAAAGc/YfX-xqm25iA/s1600/volta+as+aulas.JPG
Antonio Carlos Carrera de Souza, IB/UNESP/RC
Alayde Maria Pinto Digiovanni, Unicentro
Carlos Roberto Vianna, UFPR



Resumo  
 
Este é um exercício de linguagem que se constitui como um movimento transversal à Educação Matemática e à História Oral. Abordam-se temas como “verdade”, “vontade de poder”, “vontade de saber”, argumentando pela impossibilidade de uma teoria sozinha, qualquer que seja ela, dar conta de explicar ou apontar verdades históricas encadeadas. Pretende-se a desconcertação do discurso histórico. Algumas noções deleuzianas são mobilizadas, de modo que a ideia de História toma a forma de uma História Oral nômade, sem fronteiras ou margens. Isso se dá contra certa ciência considerada régia, estatal, oficial e verdadeira. A partir das noções de rizomas e máquina de guerra nômades, discute-se a noção de acontecimento e acontecimento histórico. Citando e analisando, por dentro, nas vísceras, olhando entranhas nuas e sangrentas das várias teorias, este artigo foi tecido como uma crítica à sociedade que inventou “origens” para tudo, obrigando a história dos homens ao longo exercício metafísico de negar sempre as evidências humanas, emotivas e sensuais.

Texto completo: PDF

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhar